Pra começar você precisa saber de um fato sobre mim: não há momento no dia mais tenso pra mim do que a hora de acordar. Sou simplesmente outra pessoa quando acordo. Alguém triste, desmotivada, apática e que não vê nenhuma razão lógica para sair da cama e encarar a vida.

Eu sempre falo de motivação nas palestras que participo com a Infinito Criativo. Defendo que temos que ter uma razão para fazer o que fazemos, ou levantar da cama pela manhã. Pois é, mas o que poucos sabem é que por mais que eu tenha uma razão e que ela seja até óbvia pra mim, quando desperto, que mal consigo lembrar dela.

Sempre fui assim

E essa batalha não é de hoje. Na época da escola meu sonho era poder dormir até o final do jornal da manhã. Eu pensava assim: “Quando começar a trabalhar vai ser melhor, porque pelo menos vou ter mais 1 hora de sono”. Afinal eu acordava 6h30 na marra, pra chegar na escola 7h15. Isso porque era privilegiada de morar perto da escola, e ia a pé.

Quando comecei a trabalhar foi muito diferente do que imaginava. Acordava no mesmo horário porque dependia de transporte público, e mais uma vez, era privilegiada de só precisar pegar um ônibus. 

Já é hora de levantar?

Foi então comecei a trabalhar por conta própria e ai a coisa começou a complicar. Porque não tinha mais nada que me obrigasse a acordar antes das 7h todos dos dias úteis. Finalmente eu era livre de horários. O que acontecer? Minha manhã geralmente tinha apenas 2 ou 3 horas e o dia ficou bem mais curto. Me obrigando a trabalhar até mais tarde e dormir ainda mais cansada.

Finamente compreendi porque minha mãe sempre acorda 5h da manhã. Finalmente sabia como aquelas primeiras horas do dia eram importantes. Mas, ainda assim, ninguém podia me impedir.

Uma descoberta

Foi quando procurei ajuda médica, e nessa busca cheguei ao diagnóstico de Hipotireoidismo. Foi quando muita coisa passou a fazer sentido, já que um dos sintomas é a fadiga, chegando até a parecer com depressão. Então, eu não era uma preguiça ambulante, acontece que minhas glândulas simples não conversavam entre si.

Então, tratamento começou, e junto com ele minha curiosidade em reprogramar minha mente para ser uma pessoa mais produtiva. Isso me levou até o livro O Milagre da Manhã e muitos outros de auto ajuda.

Por um bom tempo, funcionou. Mas nos dias de férias, feriados e fins de semana eu me premiava com: “ah… hoje vou me permitir”. Resultado: ao quebrar o ritmo tantas vezes, perdi o fio da miada com relação aos motivos pelo qual fazia isso.

Só mais 5 min…

Sem contar que, por muitas vezes, usava desse hábito para não participar de eventos e socializar com pessoas que amo. Coloquei o rótulo de “sou velha, preciso dormir cedo” como desculpa para tudo que se marcava a noite. E cá estou eu, tentando encontrar o eixo novamente.

Agora vamos a alguns dados

Segundo pesquisadores da Universidade Simon Fraser, no Canadá, nós humanos somos biologicamente preguiçosos. O que faz sentido, afinal nossos ancestrais só gastavam energia para procriar e ir em busca de comida.

Ou seja, estamos constantemente lutando com nosso organismo para convence-lo de que há mais nessa vida do que comer, dormir e procriar. Além do mais, é oferecido a nossa geração mais possibilidade. O mundo se tornou menor, temos muito pelo que lutar. Nossos sonhos, nossos ideais, nossa forma de ver o mundo e se encaixar nele muda ao longo da história da humanidade mudou muito. O que torna essa batalha ainda mais complicada.

Todos os dias precisamos encontrar motivos maiores para continuar nossa missão aqui na terra. Sejam pessoas, circunstâncias que dependem de você, seus objetivos, seus compromissos, enfim, algo mais forte tem que convencer nosso cérebro a sair do conforto e encarar o que venha pela frente.

Algumas experiências que fiz para encontrar uma solução

Aí me pergunto, como posso facilitar esse diálogo com meu eu primitivo que só quer permanecer na primeira Lei de Newton, ou seja, “Um corpo em repouso tende a permanecer em repouso”? 

Uma das primeiras conclusões que cheguei é a forma com que eu vou dormir. Telas prendem minha energia a elas, mantem minha mente ligada, mesmo que todo o resto do corpo esteja gritando por repouso. Por isso, sempre que uso celular, computador ou tv próximo da hora de deitar, minha hora de acordar é ainda mais complicada. Porque meu corpo simplesmente não aceita que chegou a hora de sair do transe do sono. 

Só mais um episódio…

Em contra partida, quando largo tudo antes das 19h, tomo um banho tranquilo, acrescentando umas velas, ponho uma música calma, janto cedo, converso um pouco com minha mãe, reduzo a luz do meu quarto e me preparo pra dormir lendo, a qualidade do meu sono é outra. Todo esse ritual me prepara aos poucos para repousar e no outro dia, a dificuldade é bem menor.

Acontece que nem sempre isso é realidade. A vida é muito fluida, há dias em que quero curtir mais minha amigas, ver um filme ou série, aproveitar algum evento e conhecer pessoas novas. E nesse aspecto do meu dia eu ainda não consegui encontrar um equilíbrio. Em fim, coloquei na cabeça que viver e aproveitar as oportunidades que surgem a noite não é pra mim. Ou seja, isso é um mindset que preciso equilibrar. Ok, mas como?

Pequenos gatilhos mentais

No livro o milagre da manha, Hal Elrod sugere que antes de dormir algumas frases sejam repetidas para programar nossa mente do tempo ideal para repousar e despertar descansada, mesmo que envolva poucas horas de sono.

“O segredo é decidir e criar toda noite, conscientemente, uma expectativa positiva para a manhã seguinte.”

Hal Elrod

Segundo ele frases como: “Eu estou indo para a cama hoje às x da noite e acordarei às y da manhã, o que me dá tantas horas de sono. Isso é o BASTANTE; na verdade, é exatamente o que preciso para que eu possa desenvolver meu nível máximo de desempenho amanhã […]” são o primeiro passo para gerar uma entusiasmo semelhante aquele na véspera de natal, sabe? Quando tudo o que você quer é acordar e ver as surpresas que o bom velhinho deixou na arvore.

Quando eu li esse livro estava realmente aberta ao método, e tentei algumas vezes, realmente o dia seguinte foi mais fácil. Mas, como você já deve ter entendido, meu entusiasmos não foi a diante, por vários motivos, todos por culpa única e exclusivamente minha, por ter desistido. O que me leva a reafirmar meu compromisso de voltar a aplicar alguns desses métodos diante de você e todos que estão lendo isso.

Outros truques do Hal

  • Por o despertador longe da cama;
  • Lavar o rosto e escovar os dentes;
  • Arrumar a cama;
  • Beber água, muita água;
  • Vestir roupa de ginástica (agora relendo essas sugestões me lembro de como isso funcionava quando fazia caminhada) .

Como alimento a desmotivação

Outra coisa que percebi é como os conteúdos que escolho consumir me afetam e criam uma atmosfera de “o mundo está um cocô, pra que me dar o trabalho de fazer alguma coisa”. Pois é… você deve concordar comigo que não estamos vivendo um momento tranquilo em todo o mundo. Pra ser sincera com você, a política me entristece, abrir o twitter me entristece, a forma com que muitas pessoas estão encarando os acontecimentos atuais me entristece. E isso tudo é um gatilho para que nada faça sentido. 

Mas aí lembro de uma coisa, a história da humanidade é repleta de altos e baixos e se estou nesse planeta nesse período com o conhecimento e privilégios que tenho é mais que minha obrigação me manter firme e motivada a enfrentar esse período e fazer o melhor que puder para ajudar do jeito que posso, quem sabe, cultivando esperança nas outras pessoas.

Saber o que está acontecendo no mundo é importante, mas devemos consumir conteúdos que nos mostre outras perspectivas de mundo. Tem muita gente por aí fazendo coisas incríveis e transformadoras. Há uma energia de resistência no ar. O ser humano também pode ser luz. Por isso, devemos ter muito cuidado com o que lemos, assistimos, repassamos e reproduzimos. Isso tudo pode afetar nossa visão de mundo e, por consequência, nossa missão e motivação.

Minhas razões atuais

Todo esse papo é pra confessar a vocês que realmente acredito que as primeiras horas do dia são importantíssimas para que ele seja mais simples e leve. Mas graças a minha auto sabotagem me perdi. Passei a deixar as vontades do meu eu primitivo falar mais alto. O que comprometeu muito minhas atividades, objetivos e motivações. Incluindo esse projeto que ficou 3 semanas sem conteúdo.

Mas, como sempre, ainda temos chances. Todas as manhãs ganhamos a oportunidade de recomeçar. E é o que estou fazendo.

Para me incentivar a ouvir a voz da sensatez interior, espalhei lembretes no meu criado mudo com motivos para sair da cama. Um deles é que, me com esse tempo posso realizar rituais de auto cuidado, o que sempre traz resultados mágicos. Começar o dia devagar, com pequenos gestos e ações de carinho para comigo reflete de forma muito positiva no resto do dia. 

Vantagens de fazer tudo devagar

Outra coisa boa é que posso fazer tudo no meu ritmo. É cedo, então posso fazer tudo devagar. Acordar em cima da hora e fazer tudo correndo traz a sensação de que não vai dar tempo de fazer o que me programei e consequentemente atrasar projetos. Isso gera uma baita ansiedade, que estraga a qualidade de vida e meu dia.

Ficar constantemente a 220v e, cá pra nós, eu detesto. Por isso, acordar cedo me permite desacelerar e aproveitar mais o agora. O momento de comer, de meditar, fazer meu yoga (que amo), respirar, conviver com quem amo, ver a cidade acordando, lentamente, nossa… é muito bom! Mas meu eu que ouve o despertador tocar nunca lembra disso, e se lembra, não dá a mínima importância. Por isso, rescrevi para mim mesma essas memórias e coloquei em um lugar acessível para que seja a primeira coisa que eu veja ao despertar.

Conclusão

Ainda preciso melhorar muito, mas acredito que é para isso que estamos aqui, para aprender e evoluir. Nem todos nós precisamos sentir essa necessidade de acordar as 5h da manhã. Eu sinto que pra mim é algo que devo trabalhar para que possa aumentar minha qualidade de vida e realizar meus sonhos. 

Bem, essas foram as minha soluções com base em auto observação, e a sua? Diante de muitas realidades, ficaria muito feliz em ouvir-la. O que te faz acordar todos os dias?

Te aguardo no próximo encontro.

Abraços

Anna

links usados como referencia:

]]>

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *